quarta-feira, 20 de junho de 2007

Asa do poeta

 
Versos são pensamentos com asas.
E as asas pelos poetas são evocadas
a voarem despreocupadas.

Asas que nem sempre são de anjos,
asas que nem sempre seguem o vento,
asas que nem sempre sabem
como chegar ao firmamento.

Mas onde é mesmo que a asa tem que chegar?
Asa que é asa tem que voar.
E quando a asa se cansa o que é que o poeta faz?

O poeta quebra a asa pra pisar em terra firme.
E “asa” passa a ser uma palavra de três letras
num verso qualquer de um livro impresso.


Nicole Rodrigues

Um comentário:

robson correa de araujo disse...

asa sul norte que a agulha me imãnte se não vou tambem...
muito bom como diz os gringos!!!