quarta-feira, 27 de fevereiro de 2008

Ponteiros


Logo, logo partirás
de mala, cuia e violino.


A saudade
consumirá os dias
e a ausência de tua sombra
será cronometrada pelos ponteiros preguiçosos
do meu relógio biológico de cristal.

Ah, esse frágil coração que agora é teu!
E que conta os minutos, os dias e as semanas
para ter ver de novo.

Um, dois, três… oito.
São apenas oito.
E
logo, logo estarás de volta,
de mala, cuia e violino.


Nicole Rodrigues

domingo, 24 de fevereiro de 2008

Question mark



Oh, there you are!

Inside the question mark.
And no one is more beautiful than you.
There is no other way but to walk towards you
- Yes, yes, yes! Yes, I do.

Nicole Rodrigues

sábado, 16 de fevereiro de 2008

Frida


Você me faz querer pintar
nos muros, nos prédios e nos quadros,
o nosso retrato.
Nicole Rodrigues

quinta-feira, 14 de fevereiro de 2008

Valentine's day



A beleza de um dia
que só se vê
nos romances de Virgínia
e nas telas de Monet.

Nicole Rodrigues

Casa da árvore



Assistirei ao incêndio bebendo vinho
na casa da árvore do vizinho,
e quando o cachorro latir
fingirei que a fumaça é incenso.

Nicole Rodrigues

quarta-feira, 13 de fevereiro de 2008

Tinto dulce

Ontem à noite eu quase fiquei bêbada. Bebi o primeiro copo de vinho e logo senti meus braços primeiro a dormência, depois muita dor. Daí parei de beber. É sempre assim, por isso nunca fico bêbada e o quase sempre está lá. Pairando no ar.

Às vezes fico alta, e tento não me incomodar com a letargia posso ficar horas encostada numa almofada pensando na vida, na minha e na dos outros… , noutras sou imediatamente consumida pelo sono… Ontem foi assim.

Sem dizer uma única palavra, ele segura a minha mão, me carrega até a cama, senta na beirada, acarinha meus cabelos e sorri. E eu o amo tanto. Tanto…

Eu quero dizer que o amo com lágrimas nos olhos, como nos filmes, mas meus braços doem, meus olhos pesam… e as palavras são diluídas pelo álcool…

Eu caio no ano sem dizer que o amo, mas eu o amo. Ah, como amo! Do jeito que eu sempre quis, do jeito que eu nunca pude, do jeito que o amo.

terça-feira, 12 de fevereiro de 2008

Bicho torpo


O corpo tomba
enquanto o trompete toca
a musiquinha do elefante
que balança a tromba,
mas não balança o corpo.

Elefante de verdade é bicho torpo,
não cabe na estante, nem cabe na toca,
mas se eu pedir pro vizinho a música do tatu-bola
será que ele toca?

Nicole Rodrigues

terça-feira, 5 de fevereiro de 2008

Blue




Even the dark side of my sky




is blue




when I am with you...

Magrela


Coitadinha dela
que engorda engolindo fantasias doces,
recheadas de tormento e cobertas com chocolate,
depois adoece com o dedo na goela,
abrindo feridas que não se curam com mertiolate.

Nicole Rodrigues