domingo, 18 de maio de 2008

Serenata


Se um dia eu tiver asas,
voarei até o chão. Se for preciso rastejar, eu rastejo.
Mas não em tua direção.

Para você quero desfilar.

Porta bandeira, baiana,
passista em alegoria- quero te encher de alegria!

Não quero serenata,

luau, festejo nem cortejo…
Sei que coração de mãe não tem seguro, mas quero te matar de orgulho.

Nicole Rodrigues

Um comentário:

Robson disse...

< >
Link patrocinadoInglês em Los Angeles EUA - www.languagesystems.com - Preços Acessíveis, Visto de estudante, Nós falamos Português
« Voltar para Caixa de entradaArquivarDenunciar spamExcluirMais ações... Marcar como não lida Marcar com estrela--------Aplicar marcador: Novo marcador...‹ Próximas 2 de 11 Anteriores ›
A lógica da Franga Encurralada Caixa de entrada
Responder
Responder a todos
Encaminhar
Imprimir
Adicionar Marcelo à lista de contatos
Excluir esta mensagem
Denunciar phishing
Mostrar original
Texto de mensagem truncado?
Marcelo Mirisola para P, Ana, Bruno, Clarah, ivana, luiz, luminis, celso, denise, mim, Marcelo, antenore, Vendas, Greg, paulo, pedro, astier, walter, Nirlando, rimenna, Reynaldo, Alfred, larissa, Luciana
mostrar detalhes 07:41 (5 horas atrás)

Caros,

Já está no ar "A lógica da Franga Encurralada"

No www.congressoemfoco.com.br

Abraços,
M.M


--------------------------------------------------------------------------------
Abra sua conta no Yahoo! Mail, o único sem limite de espaço para armazenamento!



Responder Responder a todos Encaminhar Convidar Marcelo para o Gmail





Responder
Responder a todos
Encaminhar
Imprimir
Adicionar Robson à lista de contatos
Excluir esta mensagem
Denunciar phishing
Mostrar original
Texto de mensagem truncado?
Robson Araújo para Marcelo
mostrar detalhes 10:24 (2½ horas atrás)

5/19/2008
sem saia
São comuníssimos os erros com o verbo fechar, por isto abro onde alguns abrem, com o verbo enxergar: enxergo agora onde quero chegar, irregular dar, assim como os verbos regulares( aqueles que regulam o que escrevo) agrafo pena.
Novamente revisto atualizado aumentado pela introdução de signos de tecnologia recente registro os vocábulos usados em Brasília e arredores com um breve estudo da origem e evolução da língua dos outros e vai também a pronúncia normal dos daqui: a pauta certa para o sucesso, museu vivo da memória candanga, estagiária oficial, palmas, aquele mundo descampinado que se avista da vargem, fim de mundo a lei e a ordem não tem caminho certo, desculpe não dá para acreditar. Mentira. Ainda tem coragem de andar empurrando canoa por essas lagoas e rios?
Enrodilhou o pano grande no bambu: o que é português brasiliense? - É muito comum ouvir dizer a língua de uma comunidade é um código que serve como um veículo para o envio e a recepção de informações entre seus membros, do mesmo modo podemos perguntar: como se deu a evolução do ensino e da arte, quais foram suas influências de ordem estética, pedagógica e filosófica, e as metodologias utilizadas durante estes 48 anos? _ SEBINHO_ Admiro e compreendo os grandes artistas, sobre eles entendo muitas coisas fundamentais, por exemplo: eles são sempre homens bem além da preocupação estética, consideram seus ofícios ferramentas duplamente adequadas, tanto para cavar nas infinitas reservas do conhecimento quanto para materializar suas descobertas em obras palpáveis...técnica de redação saber escrever bem preciso os manuais reunidos oferecem a instrumentação necessária ao trabalho intelectual, quando decoramos mecanicamente regras e conceitos, como se faz frequentemente nos cursos daqui, tudo aquilo que deu tanto trabalho para memorizar á força é esquecido imediatamente após a prova. comparei a impressão que eles me deixam com o som de boa música quando chega aos nossos ouvidos, com os silêncios necessários...
Quando existe obra, o resto é pura falação!

Postado por Robson