terça-feira, 14 de outubro de 2008

Camundongo



Às vezes é preciso parar.
Conter o medo, a compulsão, a desorientação.
Respirar.

Às vezes é preciso parar
de construir paredes e fazer uso do chão.
Aproveitar o que já se tem.

Às vezes é preciso estreitar o laço,
cavar mais fundo e mais rápido
no mesmo lugar. 


Às vezes é preciso fazer um buraco do tamanho da vida
que já nasce finita.
Enraizar.


Nicole Rodrigues

3 comentários:

Nathy disse...

Uia!
Que profundo isso!
Quem não cria razíes não pode crescer.
Beijos

Franklin disse...

Nicole, que coisa linda esse poema. Vi seu recado no orkut de Renata e vi sua página....que grata surpresa. Vc é uma escritora e escreve coisas lindas. Mando um forte abraço p vc e te desejo sorte ai. Serei leu leitor assiduo...já estás adicionada em meus favoritos. Abs Franklin Torres

Anônimo disse...

Amei!!!

Nicole, vc é uma escritora mesmo, menina, e quanto!!!

E a foto me lembrou nossa conversa de há pouco... andar descalça na relva, que delícia!

margarida
P.S.: meus comentários saem sempre como "anônimo", porque eu sou novinha aqui (me estreando hoje) e ainda não descobri como ser identificada (mas vou aprender!).