segunda-feira, 10 de novembro de 2008

Vitral de cristal


A fúria do mar balança forte,
ressoa alto,
ecoa incessante
no ouvido já cansado,
consciente e calejado
por tua lamúria sem fim.

Será que não vês,
que arrancas meu coro,
que quebras meus ossos,
dissecas minha alma,
dizimas meus sonhos
quando dizes o que dizes pra mim?


Nicole Rodrigues

2 comentários:

hull disse...

Querida Nicole,

Ler você é como tomar um delicioso sorvete de chocolate.
É coisa gostosa demais.
Que lindo está seu blog.
Voltarei mais vezes.
Amei a foto com o love, tá linda.
Beijos,
Hull

Anônimo disse...

Querida,

estou adorando ler você. Já vi que tem aqui muuuuuuuuuitas horas bonitas esperando minha atenção.

E que bom foi esse seu poema - e todos os outros também.

Seu blog é que nem chá com bolinho de chocolate e uma amiga pra bate-papo, em dia de chuva... Reconfortante!

margarida bernardo