domingo, 12 de abril de 2009

Madalena



- Mente sã, corpo profano, por que te escondes detrás do rosto inocente?
- Medo. Tenho medo dos maledicentes...
- Esguia ao primeiro relance, sinuosa ao primeiro toque... És, de fato, um deleite para as bocas inclementes. Mas não te aflijas. Deixe-me trilhar teus montes. Permita-me ser teu guia. Hei de proteger-te do mal dizer. Confia!

Depois de satisfeito, o homem-carrasco se despediu dizendo:

- Corpo são, mente profana, pobre Madalena porque ainda te enganas?



Nicole Rodrigues

Nenhum comentário: