domingo, 25 de outubro de 2009

Estamira

[Para você, admirável Estamira.]



Está mira,
está menina,
está mulher,
Estamira

É o trovão em carne e osso,

é o trauma,
é a traição,
é o estupro,
é o desgosto

de um coração partido,
de um corpo invadido,
de um ser submerso,

devoto de um deus cego,

que como um trocadilho ambulante,
não lhes deus comida no prato,
nem luxo na estante.

Estamira é uma louca
ao contrário,
é um cometa do pai, avô, marido e pedófilo astral;
é um astro par,
positivo e único-condicional.

Estamira é o reflexo

consciente, lúcido e ciente por um triz
de quem enxerga, ouve e sente
que não teve a sorte de ser feliz.



Nicole Rodrigues

Nenhum comentário: