quinta-feira, 15 de abril de 2010

Procrastination



Feliz se dizia
sem pressa e
sem alarde
quando deu o primeiro passo:
já era tarde.

Nicole Rodrigues

2 comentários:

Farley Rocha disse...

Todas as vezes em que vou dormir, sempre me sinto um grande procrastinador, que deixa para o dia seguinte tudo aquilo que poderia ter feito hoje.
E tenho medo disso, porque acho que procrastinar não é uma questão de mau hábito, e sim de personalidade (o que torna as coisas mais irreversíveis).

Nicole Rodrigues disse...

Sabe que eu também? Nao raro vou dormir me sentindo uma inútil por não ter organizado o meu tempo melhor e feito metade das coisas que eu deveria, poderia, ou vai ver, gostaria de fazer naquele bendito dia.

Uma coisa que me ajuda bastante é fazer e espalhar listas pela casa. Eu escrevo nessas stick notes amarelas e coloco na porta da geladeira, na tela do computador, no espelho do banheiro e acabo fazendo uma ou outra. Quando não tudo (!).

Esta é a minha pequena contribuição contra a procrastinação que, obviamente, é o mal do nosso século.

Mas tenho que discordar de uma coisa: não creio que a procrastinação seja uma questão inerente à nossa personalidade. Personalidade nada mais é aquilo em que nos transformamos e que decidimos continuar sendo. Não há nada mais adaptável, permeável, mutável, do que a personalidade de um ser humano. Podemos aprender novos hábitos, esquecer antigos e se acostumar a tantos outros através da análise e reeducação de nosso comportamento e consequencias dele.

Não entre nessa de achar que procrastinação está no sangue, porque não está. A gente simplesmente se acomoda, acha que vai ter a vida toda pela frente e desperdiça os dias, e isso tem outros nomes: vaidade, pretensão, acomodação, ilusão (risos).

Um beijo