domingo, 30 de maio de 2010

Lisboa



Caí de amores
por um cantinho do mundo
que parece não ter fim.


Com suas ruadelas, praças e passarelas,
igrejas, museus e palacetes,
becos e bondes,
castelos e pontes,


ladeirões e escadarias,
casarões e catedrais,
eu bem que gostaria
de ficar um pouco mais.
Nicole Rodrigues

Um comentário:

Alves Rosa disse...

Minha sempre amada Lisboa.
Ainda volto de vez para minha terra, não de nascença, mas de alma.