sexta-feira, 30 de julho de 2010

Rastro noturno


Seu amor 
é uma camisola branca-perolada, macia e folgada
a única bagagem que carrego em meu corpo enquanto durmo;

é um rastro noturno
que me faz chorar adormecida
ao sonhar com o dia da tua partida;

é a brisa que me desperta do pesadelo que seria
acordar tocando a mim mesma,
por não mais tê-lo.


Nicole Rodrigues

Um comentário:

fdots disse...

belo poema. gostei muito das conexões que você criou entre coisas aparentemente desconexas.