quarta-feira, 24 de novembro de 2010

Orvalho


E não é o sereno
o mais próximo a que chegamos da lágrima
quando imersos na natureza,
que nos recebe sempre de braços abertos
mesmo quando prestes a nos sufocar?

Um menino perdido,
com fome de amor
e medo do escuro
é tudo o que um bosque tem a ganhar.

E se para ter orvalho
for preciso prendê-lo entre os galhos,
soterrá-lo em folhas
e esmagá-lo de dor
então que assim seja!

Qualquer coisa que o force a chorar
a crescer,
a reagir
e renascer.
Nicole Rodrigues

Um comentário:

Andrea Pio disse...

Maravilha Nicole!
Senti até a dor do orvalho soterrado nas folhas.

Abço,
Andrea