domingo, 24 de abril de 2011

Inteiriços do mar


Nadei, nadei, nadei até decidir me afogar
em todos os versos e prosas dos livros que pude comprar.
Em cada um deles encontrei um par de amigos
invisíveis, inúteis e inoperantes
condenados ao mofo e ao pó da estante.

Tratei de ressuscitar
quando a raiva transbordou da mordaça
que insistia em me calar.
Letras, rimas, pontos e vírgulas:
inteiriços salva-vidas do mar.

Nicole Rodrigues

Nenhum comentário: