sábado, 2 de julho de 2011

Patina


A tua pele é escoarada
feito patina,
uma aquarela morta,
cor de nata.

Uma palidez que vem dos ossos
e se espalha feito praga
até impregnar os teus olhos fundos.

És um poema mudo,
diminuto,
finito
... defunto.

Nicole Rodrigues

Nenhum comentário: