sábado, 6 de agosto de 2011

Mariposas ao redor



Em meados de 2010 fui agraciada com a visita de um poeta que chegou a este blog trazido pelos ventos do leste. O contato foi imediato, bem-vindo e recíproco. Meses mais tarde aceitei com muita alegria o convite de escrever a apresentação do que viria a ser o  primeiro livro de poemas do querido Farley Rocha. E aqui está ela: 


Mariposas ao redor
De Minas ao espaço.


Nas ruazinhas de pedras antigas, nas escadinhas da antiga igreja ou pousadas ao chão.


Elas saltam das montanhas revelando seres no profundo verde dos campos.


Mariposas ruivas, raivosas, de rua, de relva... flores negras que desabrocham ao entardecer.


Quarenta e quatro mariposas voando raso − provocantes e convidativas.


Lembro de ter perdido o fôlego tentando seguir o rastro delas. Tentando descobrir para e até onde elas iriam. (Onde estará o mapa?)


Tentando desvendar


porque os belos versos


desenhados por elas no ar


parecem sempre terminar


em curvas.

Cheguei tão perto! A ponto de sentir o hálito. Um “hálito de carinho”, como bem disse o poeta.



“E diga-se de passagem,” as mariposas “são estrelas ou satélites imaginários na pele do universo, tatuagens.”


Mas por não mais poder segui-las, “na noite tão noite quanto o escuro reluzente em passos”, tratei de deixá-las partir.

E elas se foram.


Não de mim,


mas


dos


meus


olhos.


Bon Voyage!
Num piscar de olhos mais um ano se passou até que chegou a hora de convidar todos vocês, que visitam este blog, a conhecer a obra de arte em si, já que a minha apresentação nada mais é do que uma sinopse da beleza que está por vir.

Apreciem o vôo das mariposas: http://www.mariposasaoredor.blogspot.com/

Nenhum comentário: