domingo, 6 de novembro de 2011

Post-mortem


Agora que todos os laços foram desfeitos
só me restam as piruetas.

Rodopiar sem amarras,
sem medo,
que venham os tropeços!

Musselinas, sapatilhas e sedas
amortecerão as quedas
– ora de bailar!


Nicole Rodrigues

4 comentários:

Juliana Migliorati disse...

Oi Lindona bela foto!
E viva a liberdade!
Beijos

Vinicius disse...

Posso ver-lhe dançar ao som de teus poemas? No teu caso não há uma queda, mas uma suspensão temporária da queda, onde surge tua poesia a aprumar o solo do teu pouso.

Andrea disse...

Lendo, tive esta bela sensação de bailar sem laços (ou 'nós') que 'nós' mesmos criamos e 'nós' mesmos temos que desconstruir... como foi bom estes segundos que passei os olhos neste poema.............

Luciana Mendonça disse...

de fato..lendo conseguimos ver vc solta , livre, dançando..sentimento d mta liberdade.passarinho q sai da gaiola é assim =) Parabéns Nicole!