domingo, 18 de dezembro de 2011

Ventre


 Como posso te arrancar do peito
se foi no teu ventre que passei a respirar
e no teu colo que caí de amores por ti?

Até a tua claustrofobia eu herdei.
A determinação, o tutano e a teimosia também.

Por que não posso ser eu,
quando tu podes ser tu,
e eu te amo como és?

Por que não podes tu
me amar sem revés?

Que raio de amor manco!

Quando uma de nós não está
não há porque amar.

Então porque não voltas?
Estou aqui a te esperar.

Nicole Rodrigues

Nenhum comentário: