segunda-feira, 3 de setembro de 2012

Surdina



Não mais consigo fazer de conta
que as páginas em branco
não importam.

Que história mais capenga essa nossa!
Tantas lacunas e quebra-cabeças...

O próximo capítulo seria a quatro mãos
se ao menos pudesse usar as tantas penas coloridas que te dei.

Papel eu sei que não te falta, então por que não podes tu
escrever sobre os momentos que um dia compartilhamos
e inventar todos os outros que deixamos passar?

Quantos poemas em forma de perdão terei de versar
para que tua ausência parta e tua presença ilumine meus dias?

Quantos gritos terei que emanar

para que tua voz ecoe nos meus ouvidos surdos de mãe?

Se eu perder o fôlego, ainda me restará o pulso
e usarei minhas lágrimas para selar tuas cartas.


Nicole Rodrigues

2 comentários:

Joaquim Branco disse...

Nicole,
seu blog, além de bem feito, é muito bonito, o que, pra mim, é fundamental. Tem leveza e bom gosto.
Estou lendo seus poemas.

Abrçs,
JB

N. Rodrigues disse...

Obrigada pela sua visita e gentileza Sr. Joaquim. Muito me alegra vê-lo por aqui! Volte sempre.