sábado, 25 de outubro de 2014

Esparramo-me


 

Cá estou,
esparramada no teu colo.
Não era o que querias?

Tu, que é homem,
que goza,
que brocha,
porque é homem.

Tu, que é macho
quando calo
e murcho
quando berro.

Tu, que é surpresa,
presença bem-vinda
- certeza!
Nicole Rodrigues

Perfídia




A repulsa pulsa forte
mas não impede
que o que atrai
também repele

Em sonhos,
ambos somos pérfidos.
Com os olhos abertos,
apenas você é.

Te devoro enquanto durmo
no quarto escuro
do meu querer.

Mas acordada sou repelida
pela perfídia
que existe em você.

Nicole Rodrigues

Elucian II



Como podes tu irradiar tanta beleza?
Em ti há uma chama,
uma vela acesa,
capaz de iluminar o mundo.

Nicole Rodrigues


Long winter



Pálida e nua como uma vela
hei de me banhar à luz da lua
na próxima estação.

Nicole Rodrigues

Febril




Que bom que a febre passou
assim eu sei que o que restou
foi mesmo loucura.

Nicole Rodrigues

segunda-feira, 13 de outubro de 2014

À deriva




Do que é mesmo que é feito o desejo? Da falta, da distância, do não ter? Que matéria é essa? Que componente, que ingrediente, de onde raios o desejo brota? E por que ele vai embora quando o corpo adormece ao lado teu noite após noite e, também à noite, o desejo de outros transborda em versos oriundos do outro lado do mundo, do lado de lá do túnel, do lado de lá do abismo que se fez entre nós dois.

Eu sou tua, ele é meu, e você, meu amor, é de quem?

Nicole Rodrigues