sábado, 25 de outubro de 2014

Esparramo-me


 

Cá estou,
esparramada no teu colo.
Não era o que querias?

Tu, que é homem,
que goza,
que brocha,
porque é homem.

Tu, que é macho
quando calo
e murcho
quando berro.

Tu, que é surpresa,
presença bem-vinda
- certeza!
Nicole Rodrigues

Nenhum comentário: