segunda-feira, 13 de outubro de 2014

Gracejos




Palavras-fronhas,
gracejos trocados enquanto deitados;
pernas e dedos entrelaçados;
o forro do medo a nos envolver,
a capa da vida a nos cobrir.

Braços servem de almofadas
para a queda em que nos lançamos
quando nos despimos de tudo,
como se o mundo pudesse saber
o que é amar sem poder.

Nicole Rodrigues

Nenhum comentário: