sábado, 30 de maio de 2015

Cortina de fumaça


I
Tu que se esconde sob as cortinas do rio. 
Não só em janeiro, mas o ano inteiro.

Um azul sem fim no infinito céu aberto 
Que sempre encontras por perto. 

Enquanto no meu lado do mundo, 
O céu é cor de chumbo. 
E o fosso só aumenta. 

II 
Se não fôssemos fosso 
Talvez pudéssemos ser, 
Mas já que somos, melhor esquecer? 


Nicole Rodrigues

Nenhum comentário: